Toda instalação do Active Directory tem um problema comum. Toda instalação possui um ou mais usuários que foram criados para um projeto, um novo empregado, um empregado que retornou, entre outros, e essas contas de usuário nunca foram usadas. Esses usuários devem ser removidos uma vez que eles representam uma ameaça para a segurança geral do ambiente.

Dizer que “representam uma ameaça para a segurança geral do ambiente” parece um pouco demais. No entanto, realmente acreditamos nisso, e estas são as razões:

  1. A maioria das organizações usam a mesma senha para novas contas de usuário, sabendo que o usuário será forçado a alterar a senha no próximo logon. No entanto, se a conta do utilizador nunca foi utilizada, a mesma pode ser utilizada como uma conta de ataque a qualquer momento.
  2. A maioria das organizações colocam novas contas de usuário nos grupos apropriados no momento da criação. Isto significa que, se um invasor fizer logon como uma dessas contas, todo o acesso será imediatamente concedida com base na participação no grupo. Se, por exemplo, o usuário está em finanças, RH, e TI, o acesso pode ser de alto risco.
  3. Estas contas não são rastreadas e, portanto, não são mantidas sob controle. Sem qualquer acompanhamento não há como saber se essas contas estão sendo usadas corretamente e o risco de alguém usá-las para atacar a rede é muito alto.

É nesse ponto que a seguinte pergunta surge… Como encontrar essas contas e removê-las?  Claro, você pode criar algum script complicado para tentar achar as contas, e, em seguida, você ainda vai precisar excluí-las. Em vez de gastar seu tempo desenvolvendo e solucionando problemas, porque não usar uma ferramenta que já tem essa opção? Melhor dizendo, essa opção EMBUTIDA 😎

O ADManager Plus tem um relatório rápido e fácil que você pode usar para gerar uma lista de usuários que nunca logaram.

A partir daqui você pode selecionar alguns ou todos os usuários na lista e apagar, mover, desabilitar ou executar alguma outra ação.

Como você pode ver, não há necessidade de se usar um script complexo quando o que você está procurando está apenas a um clique de distância. O ADManager Plus é a ferramenta mais eficiente para gerenciar seu ambiente Active Directory.

Venha conhecer melhor a nossa solução e conte com o auxilio da equipe ACSoftware seu Distribuidor e Revenda ManageEngine no Brasil

Fone (11) 4063 1007 – Vendas (11) 4063 9639

Se você quiser melhorar a estabilidade da infraestrutura, a qualidade de serviço e agilidade de TI, o gerenciamento de mudanças é um “mal necessário”. Ele não é popular porque afirma o controle. O pessoal de TI já acha que ele está muitas vezes dizendo como fazer o seu trabalho e que adicionar algo como um processo de controle de mudanças só vai atrasá-los.

A implementação da gestão de mudança é mais sobre a mudança organizacional do que mudar as operações técnicas. Como qualquer outra mudança organizacional, você tem que vender o valor para os grupos interessados que serão afetados pela implementação e levá-los a bordo. Identifique o fator WIFM (acrônimo de What’s In It For Me?). Cada indivíduo está se perguntando “o que há nele para mim?” e é importante responder a esta pergunta para se realizar a compra. Um bom ponto de partida é fazer uma lista dos diferentes grupos que serão afetados pela implantação. Em seguida, analisar o que eles fazem, como eles fazem e o que vai mudar para eles. Então, cada um desses grupos vai saber o que se espera dele e como eles serão beneficiados.

Fatores críticos de sucesso:

  • Comunique o “porquê” antes de comunicar o “o quê”.
  • Responda a pergunta, “o que há nele para mim?” Para cada grupo de partes interessadas.

Minimize o risco e maximize o sucesso! Acompanhe nossa nova série de posts e tenha as melhores dicas para gerenciar suas mudanças.

Venha conhecer melhor o ManageEngine ServiceDesk Plus e o módulo de gerenciamento de mudanças. O software pode ser testado por 30 dias, contando sempre com o apoio da equipe ACSoftware.
Fone (11) 4063 1007 – Vendas (11) 4063 9639

Veja aqui Primeiro Post da Serie

O NetFlow Analyzer mostra informações valiosas sobre o tráfego e largura de banda sendo utilizada em uma interface. Os relatórios sobre o tráfego são exibidos com base no volume, velocidade, utilização e pacotes e você também pode ver a origem, o destino e as conversas referentes ao tráfego. Toda esta informação é mostrada com base no IN e OUT.

Pode-se perguntar o que a informação IN e OUT para o relatório de meios diferentes. Os relatórios sobre o tráfico IN mostram o tráfego que entrou na interface e OUT mostra o tráfego que saiu da interface. Isso foi bastante simples, mas o que dizer de origem, destino e conversas IN e OUT?

Isso também é muito fácil de entender e de explicar, vamos fazer uso de um pequeno cenário. Considere um roteador com duas interfaces, uma conectada à rede local e outro ligado à WAN. Aqui, a troca de tráfego está entre os endereços IP 68.180.206.184 que se encontra na Internet e 192.16.1.82 que está na rede local.

Ao olhar os relatórios da interface WAN, a aba Source mostra a fonte de todo o tráfego que passa através desta interface. Source IN mostra os endereços IP de origem do tráfego que entrou na rede através da interface WAN (da Internet, neste caso) e Source OUT mostra os endereços de IP de origem do tráfego que saiu desta interface para a internet (neste caso, a partir da LAN).

Assim, no cenário, se houver tráfego a partir do endereço IP 68.180.206.184 para o Endereço IP da LAN 192.16.1.82, o Source IN terá o endereço IP 68.180.206.184, uma vez que este endereço IP é a fonte de tráfego que entrou na interface WAN. Quando o IP LAN 192.16.1.82 envia informações de volta para o endereço IP público, o Source OUT terá o endereço IP 192.16.1.82, porque esta é a fonte de tráfego que saiu da interface WAN.

A aba Destination no NetFlow Analyzer mostra o destino de todo o tráfego que passava através de uma interface monitorada. Assim, para a interface WAN, Destination IN mostra o destino do tráfego que entrou na interface e Destination OUT mostra o destino de tráfego que saiu da interface WAN.

No cenário onde o tráfego foi de 68.180.206.184 para o endereço IP da LAN 192.16.1.82, o Destination IN é 192.16.1.82 porque esse foi o destino de tráfego que entrou na interface WAN. Durante a conversa de retorno, o endereço IP 192.16.1.82 envia o tráfego com o endereço IP de destino como 68.180.206.184 e por isso este é o Destination OUT.

Vindo para a conversation, a troca de tráfego a partir do endereço IP 68.180.206.184 para o endereço IP 192.16.1.82 é uma única conversa e este entrou na interface WAN. Então, essa conversa vai formar a conversation para a interface WAN. Quando o endereço IP local 192.16.1.82 estava enviando tráfego de volta para o endereço IP público 68.180.206.184, esta foi uma conversation que saiu da interface WAN e assim forma a conversation OUT.

Esperamos  que esse post tenha esclarecido um pouco das dúvida sobre o tráfego que está sendo exibido no NetFlow Analyzer. Venha realizar seus testes e conhecer mais sobre nossa ferramenta de análise de tráfego, contando sempre com o auxílio da equipe ACSoftware seu Distribuidor e Revenda ManageEngine no Brasil

Como a segurança torna-se cada vez mais importante a cada dia, há uma necessidade para a comunidade de TI para entender as diferenças entre os auditores e administradores. A razão pela qual precisamos manter estes diferentes trabalhos em papéis distintos é que eles são completamente diferentes.

Auditores

Auditores têm duas funções principais. Em primeiro lugar, os auditores são responsáveis por assegurar que a empresa cumpra todas as normas de conformidade necessários. Seja HIPAA, PCI, SOX, ou algum outro, os auditores têm a responsabilidade de conhecer os regulamentos de conformidade e garantir que a empresa os atende. Quando o auditor externo entra na organização, toda a segurança, procedimentos e outras questões de conformidade regulatória precisam estar corretas para atender à conformidade.

A segunda função dos auditores é garantir que a segurança da organização está correta. Estes podem ou não corresponder às normas de conformidade. Os auditores devem garantir que a segurança para todos os sistemas esteja correta: Windows, Unix, AS400, SQL, Cisco, e muito mais.

Administradores

Os administradores têm uma função principal. A principal função dos administradores é garantir que todos os sistemas estejam funcionais para que os funcionários desempenhem as suas tarefas de trabalho. Os administradores devem trabalhar com uma variedade de sistemas operacionais, garantindo a compatibilidade e a comunicação. Um pequeno patch poderia destruir a capacidade de um computador funcionar e se comunicar.

Os administradores estão preocupados com a segurança, mas somente até o ponto onde eles podem garantir que a sua principal função seja concluída. Aplicação de patches, fazer configurações de segurança e adicionar ferramentas desconhecidas podem causar perturbações nos seus objetivos globais. Assim, eles ficam apreensivos para aplicar patches, manter a segurança e adicionar ferramentas.

Sugestões para os dois trabalharem juntos

Com uma diferença tão grande na função do auditor e do administrador, como eles trabalham juntos? A realidade é que eles devem trabalhar juntos, por isso é preciso haver algum compromisso. Com o que esse compromisso se parece?

Primeiro, os administradores devem ter uma solução para dar aos auditores acesso a relatórios, o que faz com que o auditor não precise solicitar ao administrador o relatório.

Em segundo lugar, os controles de segurança fundamentais, tais como o acesso privilegiado, acesso a recursos e controles de conformidade, precisam ser monitorados constantemente.

Em terceiro lugar, a comunicação é fundamental! Os auditores devem ser compreensivos, assim como os administradores. Cada papel e função é a chave, então uma comunicação sobre metas, desejos e necessidades devem ser estabelecidos. Já não deve ser “nós contra eles”, mas “como podemos encontrar no meio e tornar a infraestrutura mais segura e mais confiável?”

Finalmente, devemos entender que todos nós estamos muitos passos atrás dos atacantes. Devemos chegar a abordagens mais sofisticadas para garantir ataques de segurança e de combate.

O ADAudit Plus te auxilia nessa importante função, realizando a auditoria do seu Active Directory e gerando relatórios com as informações mais relevantes para você. Venha conhecer melhor a nossa solução e conte com o auxilio da equipe ACSoftware seu Distribuidor e Revenda ManageEngine no Brasil

Fone (11) 4063 1007 – Vendas (11) 4063 9639

As pessoas costumam dizer “o que é medido é aperfeiçoado, mas elas raramente dizem o que, exatamente, deve ser medido. Com os recentes desenvolvimentos nos recursos de relatórios de softwares de help desk, centenas de KPIs e métricas podem ser medidas e monitoradas. Mas, isso não significa que você deve medir todas. Apenas os KPIs e métricas que são fundamentais para as necessidades de seu help desk de TI devem ser medidas para melhorar a prestação de serviços.

Esta série de posts descreverá os oito KPIs que são críticos para cada help desk. Estes KPIs ajudarão a cumprir os objetivos básicos do help desk de TI , tais como a continuidade dos negócios, a produtividade organizacional, e prestação de serviços no prazo e dentro do orçamento. Os KPIs serão:

Screen-Shot-2016-04-27-at-2.24.54-PM

O acompanhamento destes oito KPIs irão garantir a melhoria contínua. Além destes, é claro, cada help desk deve monitorar constantemente e se esforçar para melhorar a satisfação do usuário final.

Esta série de posts sobre os 8 KPIs irão ajudar os administradores de TI a compreender a importância destes KPIs, o impacto sobre o desempenho do seu help desk nos negócios, dicas para melhorar esses KPIs e, finalmente, atingir os objetivos do help desk e os dos negócios.

Continue acompanhando esta serie de posts e aproveite para conhecer melhor o ManageEngone ServiceDesk Plus e realizar os trinta dias de testes, contando sempre com o apoio da equipe ACSoftware seu Distribuidor e Revenda ManageEngine no Brasil

Fone (11) 4063 1007 – Vendas (11) 4063 9639

wd

Uma duvida frequente é como lidar com nomes de usuários duplicados durante a criação de novas contas de usuários do Active Directory. Mesmo quando as organizações estão se movendo para a nuvem, limpezas do AD, fusão com outras empresas, nomes de usuários duplicados é um tema importante.

Agora, devemos começar pelo princípio de criar contas de usuários com os Users e Computers no Active Directory utilizando uma ferramenta, que irá indicar se o nome do usuário está duplicado. No entanto, não há nenhuma opção para a ferramenta lidar automaticamente com duplicações. Em vez disso, cabe ao administrador tentar continuamente nomes de logon adicionais até que o nome inserido não seja igual a uma conta de usuário existente.

Se você tentar lidar com nomes de usuários duplicados com o PowerShell, você verá que não é muito melhor. Quando você executa o comando “Get-Help new-ADUser” do Módulo Active Directory para PowerShell, você vai descobrir que não há nenhuma opção para lidar com nomes duplicados.

Se você procurar na internet ajuda sobre o assunto, irá encontrar algumas “sugestões” soluções, mas a maioria delas tem comentários dizendo que  realmente não funcionou como esperado. Após cerca de 30 minutos de procura de uma solução no PowerShell, eu desisti. Mas, isso é porque eu sei que é uma solução muito mais simples que leva menos de 5 minutos para implementar.

Não só que a solução leva menos de cinco minutos para implementar, mas também pode lidar dinamicamente com nomes de usuários duplicados, tanto para o nome de logon e nomes de logons anterior ao Windows 2000. Essa solução é o ManageEngine ADManager Plus, e irá fornecer o controle final sobre nomes de usuários duplicados, como você pode ver na Figura 1.

duplicate-names-figure-1

Figura 1. ADManager Plus dá lhe o controle sobre nomes de usuários duplicados.

Se houver quaisquer nomes de usuários duplicados, ManageEngine ADManager Plus, irá fornecer uma opção de usar uma nova convenção de nomenclatura para nome de usuário (que é 100 por cento personalizável) ou adicionar números para o nome de usuário. Você pode ver estas opções na Figura 2.

duplicate-names-figure-2

Figura 2. ADManager Plus tem opções detalhadas para lidar com nomes de usuários duplicados.

Agora, com ManageEngine ADManager Plus, você pode facilmente e de forma eficiente lidar com nomes de usuários duplicados. Você já não tem que ir manualmente na entrada de nomes até que não haja duplicação ou solucionar erros no PowerShell. Em apenas alguns cliques, você pode criar contas de usuários, sem falhas, a certeza de que você tem uma solução personalizada para lidar com todos os nomes de usuários duplicados.

Venha realizar o teste de 30 dias do ManageEngine ADManager Plus e conte com o auxilio da equipe ACSoftware seu Distribuidor e Revenda ManageEngine no Brasil

Fone (11) 4063 1007 – Vendas (11) 4063 9639

Análise-de-dados-e1464639026324-684x456

Estamos orgulhosos de anunciar que a nova versão do Analytics Plus está disponível, e esta, possui uma série de novos recursos. Além de análise de ITSM (com base no ServiceDesk Plus Plus e ServiceDesk Plus MSP), agora se estende análise de auto-atendimento para Operações de TI da ManageEngine.

Analytics Plus 001

Os Destaques dos Recurso Incluem:

  • Integração com Applications Manager e OpManager, com relatórios prontos e dashboards utilizando dados operacionais,  a partir destas ferramentas.

Analytics Plus 002

  • Integração com SupportCenter Plus, com relatórios e dashboards utilizando dados de suporte.

Analytics Plus 003

  • Conectividade direta com banco de dados para buscar dados de bancos locais ou nas nuvens.

Analytics Plus 004

 

Principais Benefícios:

  • Análise de Operações de TI e Suporte
  • Análise de inventário, disponibilidade e desempenho de todos os componentes de infraestrutura de TI para garantir que eles estão funcionando.
  • Examinar alarmes e eventos para determinar os padrões e condições de alarmes, dispositivos que frequentemente falharam, aplicações ou fontes  que ocorrem problemas frequentemente.
  • Fornecer percepções sobre Amazon AWS e Microsoft Azure, e otimizar o planejamento de capacidade.
  • Apresenta painéis de serviços chaves de negócios, permitindo que as equipes visualizem e monitorem de forma holística.
  • Previsões  de tendências com base no número de solicitações concluídas, volume de solicitações e tendências, para melhorar a satisfação do cliente.

Nota: Analytics Plus está disponível para OpManager para a compilação 11600 e acima, Applications Manager, para a compilação 12810 e acima e SupportCenter Plus para a compilação 8010 e acima.

Se assim como eu você está encantado com os recursos e benefícios do ManageEngine Analytcs Plus, venha realizar os testes de 30 dias contando sempre com o apoio da equipe  ACSoftware será uma honra lhe auxiliar.

Fone (11) 4063 1007 – Vendas (11) 4063 9639.

Imagen-iot

A Internet das coisas tem o potencial de mudar completamente a forma como vivemos e trabalhamos. Ela já está causando uma evolução no local de trabalho – especialmente onde a TI está envolvida.

net-das-coisas

Em 2020, haverá mais de 38 bilhões de dispositivos conectados. Seja pela conveniência e eficiência, estamos adquirindo computadores embutidos em praticamente cada produto e aparelho que usamos, de geladeiras e liquidificadores para termostatos e sistemas de segurança.

Dispositivos conectados não são mais uma esquisitice ou uso apenas da elite; eles são uma regularidade em nossas vidas pessoais e profissionais.
Não surpreendentemente, isso significa que eles possuem o potencial para provocar uma mudança considerável no local de trabalho, em nenhum lugar será mais evidente a mudança do que no departamento de TI.

Hoje, eu gostaria de discutir apenas algumas maneiras que a Internet das coisas irá impactar administradores em todos os lugares.

A Internet das Coisas e a TI

Em primeiro lugar, com os dispositivos da Internet das Coisas predominantes tanto no local de trabalho e produtos da sua empresa, o departamento de TI terá de expandir seu alcance para todos os cantos da empresa. Seu software de gerenciamento de dispositivo terá que evoluir a fim de acomodar um fluxo de novos dispositivos, enquanto os desenvolvedores internos vão encontrar novos e inéditos desafios relacionados aos softwares incorporados.
“A mudança da adição da Internet das coisas” junto “aos dispositivos existentes, e criando dispositivos com componentes da Internet das Coisas  será transformadora”, escreve Scott Koegler.

O Papel dos Administradores Mudará Consideravelmente

Houve um tempo em que os administradores eram o canal de distribuição exclusivo para aplicações internas e de softwares empresariais. A Mobilidade viu que o controle passou para as mãos do utilizador final, os profissionais de TI deslocados passaram a gestão, ao invés de possuir o controle. A Internet das coisas é só mais uma mudança, e qualquer administrador que não entende os conceitos como os de big datas, arquitetura na nuvem e protocolos orientados para a Internet das coisas será deixado para trás.

Tudo vai crescer mais ágil

Imagine um negócio com uma visão íntima em cada decisão que faz e cada mudança operacional que ocorre. Uma empresa que sabe exatamente o que seus clientes querem, precisamente quando eles querem. Agora imagine que o negócio está equipado com a capacidade de reagir instantaneamente a essas necessidades e demandas inconstantes.
Isso é o que a Internet das coisas permitirá – os dados recolhidos a partir de sensores embutidos irão oferecer uma visão sobre tudo, desde a produtividade dos funcionários com os hábitos de compra dos consumidores. Ao mesmo tempo, essa informação vai ser difícil de analisar e organizar, com base apenas no puro volume.

Data Science (Ciência dos dados)

Sabemos há algum tempo que a data science vai ser extremamente importante e avançado. A capacidade de visualizar, conceituar, e organizar conceitos baseados em fluxos maciços de informações desconexas serão inestimáveis para análise de negócios. Mais uma vez, esta é uma tendência que a Internet das coisas irá conduzir ainda mais.
“Internet das coisas e big data, basicamente, são dois lados da mesma moeda”, “Gerenciar e extrair a partir de dados da Internet das coisas é o maior desafio que as empresas enfrentam. As organizações devem estabelecer uma adequada plataforma de análise / infraestrutura para analisar os dados da Internet das coisas. Deve lembrar que nem todos os dados da Internet das coisas são importantes.”

Você vai ter que enfrentar a questão do Software Liability

Atualmente, a maioria dos estados não têm leis de responsabilidades relacionados com softwares, permitindo que vários fornecedores elaborem contratos que lhes absolvem de toda e qualquer responsabilidade em situações que o software de segurança de seus dispositivos falhe. Reguladores estão atentos para esta prática, e para a segurança da Internet das coisas em geral. Embora seja improvável que nós iremos ver quaisquer alterações no futuro imediato, a sua empresa terá de enfrentar a questão do Software Liability – Por isso, é melhor que você se prepare o quanto antes.

Texto original: http://iot.ulitzer.com/node/3812694

Gostaria de conhecer um software excelente de help desk nas nuvens? Venha conhecer o ManageEngine ServiceDesk On Demand , contando sempre com o apoio da equipe ACSoftware será uma honra lhe auxiliar. Fone (11) 4063 1007 – Vendas (11) 4063 9639.

Continue acompanhando a serie de posts,  na próxima semana irei descrever sobre a internet das coisas.  Confira neste link o assunto abordado na última semana.

zoho_logo

O Zoho Assist fornece o acesso remoto mais simples e mais rápido. Suporte remoto sob demanda para seus clientes instantaneamente ou acesso através de computadores remotos no modo automático. Zoho Assist é uma solução baseada na web, trabalhada para pequenas e médias empresas, que funciona em todos os principais sistemas operacionais, dentro ou fora da LAN.slider-blog-sagitaz-zoho-assist-azul

Simplesmente Conecte

Convide seus clientes para uma sessão remota por e-mail, site ou link personalizado. É tão simples que mesmo um usuário novato vai achar mais fácil

Acesso a Qualquer Hora

Instale o cliente autônoma no computador do seu cliente remoto e acessá-lo sempre que precisar. Isto dá-lhe a facilidade para trabalhar quando quiser, sem perturbar o seu cliente.

Transferência de Arquivo Fácil

Enviar arquivos para o computador do seu cliente remoto rapidamente. Pode ser útil na instalação de atualizações ou patches. Você também pode receber arquivos de várias extensões diferentes.

Widget  cliente

Obtenha seu código do widget cliente e cole em seu site ou blog. É um trecho de HTML simples que permite seus clientes entrar no ID da sessão e se conectar à sessão de suporte remoto.

Reiniciar e Reconectar

Reinicie o computador remoto com um único clique e reconecte à sessão sem perder o controle. Você também pode reiniciar o computador em modo de segurança para solucionar problemas.

Suporte a Vários Monitores

Navegar entre dois ou mais número de monitores ligados ao computador remoto. Zoho Assist detecta automaticamente o monitor ativo e transfere o controle remoto.

Venha conhecer melhor esse excelente software da ManageEngine, contando sempre com o apoio da equipe ACSoftware será uma honra lhe auxiliar.

Clique aqui para testar.

Fone (11) 4063 1007 – Vendas (11) 4063 9639.

SDN-douglas

Switches Ethernet, Wi-Fi APs e roteadores podem ser a única infraestrutura de rede física que você precisa em um Virtual Center. SDN é o futuro baseado em nuvem, de acordo com o especialista em redes Craig Mathias.

4VkIGouyQ1i23PXZz94Q_SDN

A virtualização é normalmente discutida no contexto de máquinas virtuais como uma forma de dividir o enorme poder dos microprocessadores entre os ambientes operacionais simultâneos, mas não relacionados. Mas, a virtualização pode ser aplicada mais vagamente, significar serviços de substituição, mesmo aqueles provisionados nas nuvens,  para capacidades historicamente implantadas em servidores locais ou outras infraestruturas de redes físicas.

Então, surge a pergunta: O quanto a infraestrutura de rede física pode ser virtualizada, tanto para as empresas e os operadores de rede?

A resposta em ambos os casos é: quase tudo. Na verdade, o termo funções de rede de virtualização descreve exatamente o que temos em mente aqui. Obviamente, algumas questões precisam ser consideradas antes da infraestrutura de rede virtual tornar-se comum, mas as implicações são dramáticas independentemente.

Uma rede na nuvem? Rede como um serviço? Sim para ambos. Eu estou apostando que este é o caminho a seguir para quase todas as redes em todos os lugares, com funcionamento em rede definida por software fornecendo o incentivo para inovar e trazer muitos dos benefícios resultantes.

Isso nos leva a uma pergunta: Como será a rede de 2020? Ou para os mais aventureiros, como a rede de 2025 irá se parecer?

Para se ter uma ideia, vamos olhar para as principais tendências que estão ganhando espaço:

  • Wi-Fi como acesso primário ou padrão para a rede da empresa;
  • Switches Ethernet que funcionam principalmente como interconexão e poder de pontos de acesso Wi-Fi (APs);
  • Routers que servem mais como switches Layer 3 na conexão com Ethernet e IP baseados em redes de longa distância;
  • A ascensão de serviços baseados em nuvem de alta performance (com a sua confiabilidade implícita, resiliência, relação custo eficiência e escalabilidade);
  • Maior e mais poder de processamento de baixo custo disponíveis através da placa.

Olhando para estas influências, é fácil ver precisamente como a infraestrutura de rede física irá evoluir e consolidar ao longo dos próximos 10 anos. Por exemplo:

  • Pontos de acesso Wi-Fi continuará a ser o acesso primário e padrão para quase todos os dispositivos do cliente, a partir de telefones celulares, tablets, e a Internet das Coisas. Cada bit disponíveis do espectro de radiofrequências a 900 MHz e 2,4, 5 e 60 GHz serão usados, com a capacidade resultante suficiente para quase todas as aplicações. Vamos ver até 10 GbE através do ar.
  • Consequentemente, switches ethernet rapidamente, de forma rentável e, talvez surpreendentemente para alguns, evoluir para 10 GbE como padrão.
  • Funcionalidade do roteador será construído como uma opção nesses mesmos switches Ethernet, assim como vemos em roteadores de classe residencial hoje.

Aqui está a parte surpreendente: É isso. Isso é tudo que a infraestrutura “real” necessita.

O que acontece com o resto da infraestrutura de rede física?

Todo o resto – gerenciamento de rede, otimização de desempenho, análise de segurança e o controlador SDN em si – serão virtualizados e provisionados na nuvem. A nuvem pode ser pública ou privada, mas a nuvem pública será cada vez mais o caminho de escolha dada a relação custo eficácia, confiabilidade e escalabilidade sob demanda inerente ao modelo de nuvem pública. Dado links de alto desempenho para a Internet (10 Gbps ou mais serão comuns), não há nenhuma penalidade de desempenho em comparação com implementações locais. As economias em equipamentos locais e infraestrutura de rede física pode facilmente pagar por uma estratégia que é preferível independentemente.

Como continua a ser o caso, SDN é tanto o catalisador e o controlador para esta visão se tornar realidade. A essência da SDN está na programação fundamental da infraestrutura de rede, e menos diversidade nesta infraestrutura.

A escalabilidade significa adicionar mais dos mesmos elementos. Mais uma vez, estes elementos são apenas APs e interruptores – APs e switches baseados na SDN, é isso.

A mudança, mesmo em tecnologia, ocorre mais lentamente do que a maioria de nós preferimos. Mas, as dúvidas mais comuns sobre a SDN é talvez o sentido mais importante geral na rede hoje. Juntamente com a evolução da capacidades de hardware discutidos acima, é fácil ver como a expansão do papel dos SDNs estão trazendo uma ampla gama de benefícios adicionais.

Texto original : http://searchsdn.techtarget.com/opinion/Physical-network-infrastructure-to-decrease-in-SDN-virtual-evolution

Gostaria de conhecer um software excelente que realiza a monitoração de seus softwares que estão nas nuvens? Venha conhecer o ManageEngine Site 24×7 , contando sempre com o apoio da equipe ACSoftware será uma honra lhe auxiliar. Fone (11) 4063 1007 – Vendas (11) 4063 9639.

Continue acompanhando a serie de posts,  na próxima semana irei descrever sobre a internet das coisas.  Confira neste link o assunto abordado na última semana.