Conectando os Logs com a Correlação de Eventos!

Começando com o Básico

O gerenciamento de informações e eventos de segurança (SIEM) ajuda a gerenciar e analisar a grande quantidade de informações de registros geradas pelas redes. De todas as capacidades do SIEM, a correlação de eventos é a mais poderosa. Essa técnica analisa os dados de log de seus servidores, aplicativos, roteadores, firewalls e outros dispositivos de rede e identifica padrões de atividades que indicam possíveis ataques. A correlação de eventos permite que você aproveite ao máximo as informações já existentes para otimizar a detecção de incidentes de segurança.

Quais tipos de ataques a correlação de eventos detecta?

A correlação de eventos segue uma abordagem de baixo para cima. Quando detecta um evento individual que pode fazer parte de um ataque, ele procura por uma sequência de eventos relacionados até que possa validar a existência de um possível padrão de ataque. Com essa abordagem, a correlação de eventos tem a flexibilidade de procurar um número ilimitado de padrões para que você possa acompanhar os ataques em constante evolução em sua rede.

Abaixo estão algumas classes de ataques que esta técnica ajuda você a afastar:

  • Ameaças persistentes avançadas: descubra invasores que tentam se mover pela rede sem serem detectados e realizar atividades maliciosas em segundo plano. A correlação de eventos ajuda você a descobrir essas tentativas procurando indicadores-chaves que sugiram atividades mal-intencionadas em segundo plano. Por exemplo, você pode identificar a criação de contas de backdoor, bem como a instalação de software e serviços suspeitos.
  • Violações de dados: monitore seus dados confidenciais para garantir que eles permaneçam protegidos contra acessos ilegais. Exemplos disso incluem exclusões de arquivos anormais ou backups de SQL não autorizados.
  • Insiders maliciosos: fique de olho nos funcionários, observando atividades internas maliciosas. A entrada de força bruta em servidores ou estações de trabalho críticos da organização, bem como o uso indevido de recursos de rede, se enquadram nessa categoria.
  • Movimento lateral: detecta movimento lateral em sua rede e contém danos antes que se espalhe. Isso poderia incluir um worm sendo instalado em vários dispositivos de rede ou várias modificações de arquivos na rede, o que poderia indicar uma possível atividade de ransomware.

Como as organizações se beneficiam?

  • Perspectiva integrada de segurança: Com a correlação de eventos, a segurança é aplicada na rede como um todo, e não separadamente, em dispositivos diferentes.
  • Detecção de incidentes mais rápida e precisa: A correlação de eventos identifica eventos em instantes, assim que os registros são coletados e processados. Também fornece contexto para eventos individuais, procurando por uma trilha de eventos relacionados. Isso torna a detecção de incidentes mais precisa e reduz os falsos positivos.
  • Melhoria contínua das políticas de segurança: Incidentes detectados revelam áreas fracas em sua rede, o que ajuda os administradores de segurança a priorizar e fortalecer a segurança nas áreas que mais precisam.
  • Investigações forenses eficientes: Ao fornecer uma visão completa de como um invasor conseguiu violar uma rede, a correlação de eventos estabelece uma base sólida para outras investigações forenses.
  • Conformidade fácil com TI: Aderir às políticas de conformidade é mais fácil quando você pode mostrar que existem sistemas robustos para detectar incidentes e descobrir exatamente como eles surgiram.

Para obter uma melhor compreensão da correlação de eventos, você pode ler  o white paper do ManageEngine sobre o tópico, que fornece uma visão detalhada dessa técnica e explica como as organizações podem incorporá-la em suas estruturas de segurança. Caso deseje realizar os testes do EventLog Analyzer, venha realizar os testes totalmente grátis contando com o apoio da Equipe ACSoftware.

Deixe um comentário