Monitorar seus links de Internet – Um caso de uso interessante

Você já riu de uma pessoa vestindo uma capa de chuva completa  e também carregando um guarda-chuva em sua mão em um dia chuvoso? Na verdade, esta analogia não é diferente do serviço de Internet da sua empresa.

imagem1

Com a demanda para fornecer 100% de disponibilidade para o serviço de internet, cada organização escolhe vários serviços de Internet. No entanto, devido a restrições de custo e a velocidade da banda, pode variar entre prestadores de serviços. É óbvio, em termos de link de backup, você não quer que seus usuários naveguem em quaisquer sites sociais ou improdutivos quando seu principal serviço está down.

Existe várias empresas que possuem o seguinte cenário:

O Provedor de Serviços de Internet (ISP) da empresa fornece três tipos de serviços de internet para garantir 100% de uptime para a empresa, os quais são:

Um Suporte Óptica [OC] – Primário

Uma frequência de rádio [RF] – Secundário

Uma internet baseada em VSAT – Terciário – Link de backup

Com estes três serviços de Internet, o ISP é capaz de fornecer alta redundância e disponibilidade de serviços em todos os momentos. Todos os três serviços de internet ficam ativas todo o tempo, com o tráfego fluindo principalmente com o link OC.

Caso o link primário fique down, a tabela de roteamento utilizará uma rota estática que mudará para o link secundário ou alterará o IP. Sem contar que o SLA do ISP para o tempo de atividade da rede é de 97% e é sempre alcançado.

O verdadeiro problema aqui é o tempo de resposta que é muito pobre para os links RF e VSAT quando comparado com o OC.

O que causa o atraso? Á aplicação ou usuário?

Será que é possível alcançar algum trade-off em termos de uso de banda para fornecer um serviço melhor?

Onde é que a latência acontece? É no provedor de serviço ou algo interno?

Quando e por quanto tempo a alta latência tem sido predominante?

As duas primeiras perguntas são fáceis responder, basta utilizar o ManageEngine NetFlow Analyzer e analisar a largura de banda. No entanto, caso não tenha conhecimento de Cisco IP SLAs e como ele pode ajudá-los a monitorar seus links de WAN. Semelhante ao NetFlow, o Cisco IP SLAs também é uma parte do Cisco IOS. Cisco IP SLAs usa técnicas de monitoração ativas para que você saiba como o link está sendo utilizado. Para saber sobre as características Cisco IP SLA que são suportadas nas versões IOS, clique aqui.

Agora, se a latência aumenta bastante, um alarme seria imediatamente levantado para a equipe de rede através do ManageEngine OpManager. Quando receber o alerta do OpManager a primeira coisa que deve ser verificada é o gráfico HOP, o que lhes permite identificar onde exatamente está a alta latência. Também,  verifique o tipo de serviço de internet que está atualmente em uso pela medição da RTT verificando os endereços IPs no gráfico HOP.

Dashboards no OpManager WAN  RTT, permite o administrador monitorar o tempo de resposta e disponibilidade round-the-clock.

imagem2

Agora, vocês podem utilizar o OpManager WAN   RTT para monitorar extensivamente mais de 100 links de WAN. Estou certo de que este caso de uso vai lhe dar uma boa ideia sobre onde e como podemos usar o monitoramento de WAN RTT do OpManager para ajudar eliminar e isolar a latência.

Caso deseje conhecer mais o ManageEngine OpManager, entre em contato conosco a equipe ACSoftware terá o prazer em lhe auxiliar.

ACSoftware – Distribuidor e Revenda ManageEngine no Brasil.

Fone: (11) 4063 1007 – Vendas: (11) 4063 9639

Deixe um comentário