[TIMEBRA] Preparando um plano de resposta a incidentes de segurança cibernética durante a pandemia

Nesse post abordaremos cinco itens notáveis ​​que descobrimos ao pesquisar tendências e tópicos atemporais. Com a crescente preocupação de ataques cibernéticos na força de trabalho distribuída, exploramos hoje o conceito de resposta a incidentes de segurança cibernética durante a pandemia.

O novo normal de uma força de trabalho distribuída deu origem a avanços no cenário de ameaças cibernéticas. Organizações globais observaram um aumento de 148% nos ataques de ransomware, com a maioria deles direcionados aos setores financeiro e de saúde. O efeito global e a influência de interesses populares, como informações de saúde COVID-19 ou eleições, abre caminho para ataques de phishing por meio de e-mails e dispositivos não protegidos. 

A prevenção de ataques cibernéticos é metade da batalha. A preparação para o impacto de um ataque cibernético é a outra metade, e o que garante a resiliência cibernética de uma organização. Um Plano de Resposta a Incidentes de Segurança Cibernética (CIRP – Cybersecurity Incident Response Plan) abrangente ajuda uma organização a mitigar e controlar os danos de um ataque cibernético. 

Um CIRP corporativo enfoca o fortalecimento de três pilares em uma organização: pessoas, processos e tecnologia. 

Uma equipe de resposta a incidentes de segurança consiste não apenas no departamento de TI, mas também nos departamentos auxiliares, como RH, Jurídico e RP. A equipe deve ter um conjunto estruturado de funções e responsabilidades, e uma responsabilidade principal é conduzir sessões regulares de treinamento para os colaboradores, a fim de aumentar a conscientização sobre o cenário atual de ameaças cibernéticas. 

As organizações geralmente usam uma combinação de ferramentas para desenvolver uma estratégia abrangente de segurança cibernética. Com isso, vem o risco de sistemas desconectados que dificultam a interoperabilidade, reduzindo assim a eficiência dos sistemas de segurança cibernética. Os diretores de segurança da informação (CISOs) precisam garantir o uso da combinação correta de ferramentas de segurança cibernética para melhorar a visibilidade dos sistemas de segurança e adotar as melhores práticas na prevenção, detecção e resposta a ameaças.   

Segurança cibernética com conceito de bloqueio digital Vetor grátis

Aqui estão cinco artigos interessantes sobre Planos de Resposta a Incidentes de Segurança Cibernética e como as organizações podem criar estratégias e trabalhar com o treinamento, processos e tecnologias corretas para se preparar para um ataque cibernético. 

1. Desafios de segurança cibernética e preparação para resposta a incidentes durante a pandemia de Coronavírus

A adoção rápida e não planejada de ferramentas remotas durante a pandemia resultou no aumento de vulnerabilidades cibernéticas nas organizações. O uso de redes Wi-Fi desprotegidas e VPNs sem patch aumenta o risco. Este artigo discute os principais pontos que as organizações devem considerar antes de implantar um plano abrangente de resposta a incidentes. Um foco principal é colocado em garantir as comunicações e a redundância de recursos para obter uma sala de guerra flexível e altamente disponível. 

2. Implementando Resposta Remota Eficaz a Incidentes em uma Pandemia

Os bloqueios em todo o mundo restringiram o acesso físico aos sistemas de TI para equipes de Perícia Digital e Resposta a Incidentes. O uso de ferramentas de detecção e resposta de endpoint baseadas em nuvem facilita a investigação remota e fornece visibilidade do endpoint crítico. Após a detecção, essas ferramentas ajudam a colocar a ameaça em quarentena. Em tempos de COVID-19, limpar ameaças sem acesso físico é um desafio. A solução envolve a recriação da imagem dos sistemas afetados e, por fim, a implantação de uma ferramenta para realizar reparos remotos. 

3. Quais são as características de um plano eficaz de resposta a incidentes cibernéticos?

A formação de um plano de resposta a incidentes deve ser seguida de testes regulares e envolve a educação contínua da força de trabalho para que seja instintivamente incorporado na memória muscular da força de trabalho. Este artigo discute sete características de um plano de resposta a incidentes cibernéticos eficaz que ajuda a obter ordem no caos durante um incidente de ameaça cibernética. 

4. IA, aprendizado de máquina e automação em segurança cibernética: a hora é agora

O aumento dos ataques cibernéticos ocorre em um momento de grande lacuna nas habilidades de segurança cibernética. IA, aprendizado de máquina e automação fornecem recursos para as organizações responderem rapidamente às ameaças cibernéticas. Este artigo discute o dilema enfrentado pelos CISOs ao priorizar os recursos e orçamentos limitados entre as soluções para prevenção, detecção e resposta a ameaças.  

5. O seu plano de resposta a incidentes de ransomware é à prova de futuro?

As organizações podem estar negligenciando o fato de que os ataques de ransomware são diferentes e resultam em um grau de impacto mais alto do que outras ameaças cibernéticas. Os esforços manuais, muitas vezes tediosos, realizados pelas equipes de TI após um ataque cibernético devem ser considerados pelas organizações ao avaliarem se devem ceder a enormes demandas de resgate. O tamanho da infraestrutura de TI aumenta a complexidade do processo de reparo e mitigação. Este artigo descreve a importância dos processos que devem ser executados em um plano de resposta a incidentes para restaurar as operações de forma rápida e econômica. 

As organizações com um CIRP em toda a empresa são menos suscetíveis a interrupções nos negócios. A melhoria contínua na segurança cibernética deve consistir na manutenção de manuais específicos para ataques, na revisão regular dos planos de resposta a incidentes, no uso das ferramentas corretas e na educação da força de trabalho para gerenciar com eficiência sua resposta. Algumas das tecnologias que ajudam no desenvolvimento de um CIRP incluem gerenciamento de eventos e informações de segurança (SIEM) , orquestração de segurança, automação e resposta (SOAR) , gerenciamento de endpoint unificado (UEM) e análise de comportamento de usuário e entidade (UEBA).

Conheça na prática e na realidade de sua empresa o que nossas soluções ACSoftware|ManageEngine podem fazer por você. Contamos com um portfólio extenso para gerenciamento de TI.
Com soluções para segurança de TI, gerenciamento de acesso e identidade (Active Directory), gerenciamento de endpoints, IT help desk e gerenciamento de serviços de TI (monitoramento de rede, banda e análise de tráfego), gerenciamento de operações de TI (Network e Server), gerenciamento de aplicativos e muito mais.

Conte sempre com o apoio da equipe ACSoftware, sua revenda e suporte ManageEngine no Brasil.

Participe agora mesmo do grupo TIMEBRA dedicado aos usuários ManageEngine no Brasil, que tem a intenção de criar uma comunidade para troca de experiências, esclarecer dúvidas, bem como ficar por dentro de dicas e novidades.

ACSoftware revenda e distribuidora ManageEngine no Brasil. Fone / WhatsApp (11) 4063 9639.

PodCafé da TI – Podcast, Tecnologia e Cafeína.

Deixe um comentário

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!