[TIMEBRA] Hiperescala: O caminho a ser seguido por data centers e organizações

No post de hoje, abordaremos sobre data centers em hiperescala, incluindo como eles funcionam, bem como as considerações e desafios que a organização enfrenta ao implantá-los.

Quando as necessidades dos clientes crescem e a organização se expande, as operações geralmente são movidas online por meio de aplicativos que estão intimamente ligados a Internet e nuvem. Conforme essas organizações evoluem, a densidade da computação aumenta devido à quantidade de dados consumidos e gerados pelas mídias sociais, Internet das Coisas (IoT), transformação digital etc. Além disso, devido à pandemia, mais organizações se tornaram digitais agora, resultando em maior tráfego de rede. Os data centers tradicionais nem sempre são ágeis o suficiente para escalar e atender a natureza dinâmica dessas cargas de trabalho. Os operadores de data centers tradicionais enfrentam dificuldades para atender às cargas de trabalho que envolvem diversos requisitos de TI.

Para acomodar a escalabilidade com eficiência e eficácia, as organizações agora podem recorrer a data centers em hiperescala. Esse termo, normalmente significa escalar com base na demanda. Essencialmente, a arquitetura pode ser construída ou desmontada de acordo com as necessidades da organização. Além da escalabilidade, esses data centers podem se tornar flexíveis, seguros e econômicos. Como esses data centers contêm no mínimo cinco mil servidores, apenas as organizações que precisam da opção de personalizar os recursos de armazenamento, computação e rede se beneficiarão com a infraestrutura. Embora um pequeno número de organizações precise desses recursos agora, incluindo empresas como Facebook e Microsoft, a necessidade está aumentando.

O desempenho dos data centers em hiperescala deve ser revisado regularmente para verificar se o tempo de atividade é consistente e confiável. Uma indisponibilidade total, ou mesmo o menor dos atrasos, pode causar perda de milhões em receitas para uma organização. Para evitar surpresas, um sistema de distribuição de energia que pode ser usado como uma opção de backup de energia durante situações críticas deve ser construído na infraestrutura do data center em hiperescala por design. Uma vez que interrupções também são possíveis devido ao superaquecimento, um sistema baseado em água pode ser adicionado com base no tamanho do data center. Além disso, uma ferramenta de gerenciamento de infraestrutura de data center (DCIM – Data Center Infrastructure Management) garante que energia, capacidade, ar condicionado e outros fatores relacionados a equipamentos de TI possam ser otimizados e utilizados em seu potencial máximo.

Antes de escolher um data center em hiperescala, as organizações devem se manter atualizadas com os fatos e recursos, incluindo aqueles apresentados nestes artigos:

1. Hiperescala: o futuro do data center

Hyperscale: the future of the data centre

Se uma organização foi ampliada, ou é provável que seja ampliada no futuro imediato, um data center em hiperescala pode ser considerado. Combinar a poderosa infraestrutura digital com sua capacidade de processar grande quantidade de informações ajuda as organizações a obterem dados analíticos valiosos. Além disso, o projeto e a construção da instalação podem auxiliar na montagem e desmontagem de componentes quando necessário, auxiliando na flexibilidade e escalabilidade de todo o sistema.

2. Data center em hiperescala: você está pronto para o futuro?

As organizações que devem acomodar milhões de operações em todo o mundo e não podem atrasar o tempo de resposta em mais de um milissegundo, podem obter o resultado mais eficaz de um data center em hiperescala. Como o hardware está mais enraizado do que o software e a segurança da estrutura depende mais do fator programável do software, a eficiência da computação também é aumentada.

3. A computação em hiperescala está reinventando o data center

As principais inovações para um data center em hiperescala incluem demandas de energia para facilitar o funcionamento da infraestrutura complexa. A energia renovável é procurada pelos fornecedores para atender a essa demanda. Além disso, para reduzir o calor gerado durante o cálculo, são necessárias as melhores técnicas de resfriamento. Experimentar locais de data center colocando-os debaixo d’água ou realocando-os para regiões mais frias são algumas estratégias inovadoras que estão sendo exploradas.

4.   Hiperescala e gerenciamento de dados

O gerenciamento de dados dentro do data center em hiperescala pode ser complicado se não for bem planejado. A terceirização de operações de computação em hiperescala é importante, pois reduz os custos de armazenamento e análise de dados de uma organização, mas o processo para considerar o melhor plano de terceirização deve ser meticuloso. Cloudstack é um fator importante para escolher fornecedores, e ter vários fornecedores de nuvem é uma boa maneira de manter o movimento da carga de trabalho flexível. Para que o gerenciamento de dados seja escalonável e resiliente, os fornecedores devem permitir operações de automação e autoatendimento.

5. Desafios para redes de hiperescala

A disponibilidade de fornecedores para gerenciar os requisitos locais e especializados do data center em hiperescala é essencial. Com base nas regulamentações regionais ou variações necessárias para a instalação e funcionamento de data centers em hiperescala, fornecedores qualificados devem intervir. Fornecedores e parceiros desempenham um fator chave para garantir uma cadeia de suprimentos forte. Conforme a tecnologia evolui, ficar atento a equipamentos de TI desatualizados e simplificar as operações de TI é obrigatório.

Cada avanço tecnológico vem com seu conjunto de desafios. Um sistema padronizado para minimizar o nível de danos e manter as funções otimizadas, com apenas a janela certa de oportunidades fornecidas em escala, sempre pode ser usado. Mas, uma vez que existem parâmetros como armazenamento, velocidade e redes que mudam com base nas cargas de trabalho, a automação deve ser considerada. Isso ajudará com alertas, rotação da carga de trabalho e gerenciamento de recursos. Além disso, como um grande volume de dados estará disponível no local, uma estratégia de governança e controle de dados do data center deve ser obrigatória. Com o conjunto certo de profissionais de TI treinados e parceiros locais especializados, um data center em hiperescala pode ser bem gerenciado e protegido.

Conheça na prática e na realidade de sua empresa o que as soluções ACSoftware|ManageEngine podem fazer por você. Contamos com um portfólio extenso para gerenciamento de TI.
Com soluções para segurança de TI, gerenciamento de acesso e identidade (Active Directory), gerenciamento de endpoints, IT help desk e gerenciamento de serviços de TI (monitoramento de rede, banda e análise de tráfego), gerenciamento de operações de TI (Network e Server), gerenciamento de aplicativos, análise avançada de dados e muito mais.

Conte sempre com o apoio da equipe ACSoftware, sua revenda e suporte ManageEngine no Brasil.

Participe agora mesmo do grupo TIMEBRA dedicado aos usuários ManageEngine no Brasil, que tem a intenção de criar uma comunidade para troca de experiências, esclarecer dúvidas, bem como ficar por dentro de dicas e novidades.

ACSoftware revenda e distribuidora ManageEngine no Brasil. – Fone / WhatsApp (11) 4063 9639.

PodCafé da TI – Podcast, Tecnologia e Cafeína.

Deixe um comentário

Blog ACSoftware - ManageEngine